30 ago 2013

Quem são os novos administradores?

Entre as principais características exigidas pelas corporações e o mercado de trabalho estão qualificação, visão empreendedora e a visão de negócios

As mudanças na economia mundial estão perceptíveis, embora entendê-las seja mais complicado. Especialistas apontam um movimento crescente de transformação nas práticas de consumo, que vem acompanhada de preocupações cada vez maiores com a melhora da qualidade de vida da sociedade e do indivíduo.

Se antes o profissional de administração dos pequenos negócios preocupava-se com o concorrente da lojinha ao lado, hoje tem quase a obrigação de acompanhar a produção chinesa, que invadiu o mundo e vende o mesmo produto pela internet e pela metade do preço.

Para se destacar nesse cenário, o administrador da atualidade precisa compreender esse contexto, desenhar estratégias diferenciadas e tomar decisões assertivas.

“É muito comum um administrador iniciar sua carreira em uma área e após uma carreira bem sucedida, se tornar gerente ou diretor em outra área. Felizmente, no Brasil, se tornam mais comuns histórias de administradores que, bem sucedidos em sua carreira, se tornam empreendedores e criam empresas que vão gerar novas vagas para outros administradores.”, complementa Ricardo Hammoud, coordenador da Graduação em Administração da ESAGS Santos.

Abrangência da área - Quem escolhe ser administrador por carreira sabe o quanto a área é abrangente e possibilita atuação nos setores público, privado e terceiro setor, instituições financeiras e consultorias. Os graduados têm salário médio inicial em torno de 800,00 reais para estagiários e 7,4 mil reais para profissionais.

Quando a jovem Cynthia Cristina ingressou na faculdade, já tinha em mente essa dimensão. A aluna formada em administração pela ESAGS sente hoje o peso da responsabilidade como analista de Recursos Humanos na GE, posicionada entre as maiores empresas de tecnologia do mundo, onde começou como estagiária.

“Foi um grande desafio a troca de negócio e de gerência quando fui efetivada, porém, ingressei no business em uma realidade bastante crítica, onde estavam sendo feitas muitas reestruturações. Minha gerente direta é relativamente nova na GE, dessa forma podemos estruturar muitos processos e fluxos que antes não haviam.”, conta Cynthia, que pretende se especializar em Recursos Humanos e desenvolver habilidades em idiomas.

Como ela, está a ex-aluna Evilene Rocha, uma das trainees na BR Foods, gigante mundial na área de alimentos. A conquista da vaga foi desafiadora, lembra a recém-formada. “Além de ser muito concorrido, o processo de trainee é composto de diversas etapas que se prolongam por um semestre inteiro. E consegui logo ao me formar sem esperar um tempo ou ter que tentar por mais de um ano”, recorda.

A rotina consiste basicamente em entender como as áreas da empresa funcionam por meio de apresentações, viagens, além da realização de projetos estratégicos para cada uma. A trainee afirma que a graduação em administração foi fundamental nessa caminhada. “Quando entrei na faculdade tinha por objetivo sair formada, com uma grande bagagem de conhecimento e bem inserida no mercado de trabalho. E vejo que consegui atingir este objetivo.”, diz orgulhosa.

Qualificação: a chave do sucesso - As empresas estão em busca de profissionais com visão empreendedora e de negócios, alguém com pensamento de dono do empreendimento. Uma saída para quem não escolheu a faculdade de administração como primeira opção no vestibular é complementar o ensino superior com uma pós-graduação.

A especialização em administração de empresas qualifica profissionais de qualquer área de atuação para carreira executiva e desenvolve as principais habilidades gerenciais, como liderança, comunicação e visão estratégica. Ou seja, quem procura um curso que siga essas propostas conseguirá encarar os desafios da economia e utilizar a tecnologia da nova era do conhecimento.

Em geral, os cursos de pós-graduação se diferenciam de outros programas de MBA, por exemplo, porque não há exigências quanto à formação acadêmica ou experiência de mercado. O que significa que profissionais que qualquer área de atuação e recém-formados conseguem acompanhar as aulas, e o curso se torna uma excelente opção de desenvolver habilidades gerenciais.

Deixe seu comentário