02 mai 2016

Neurobusiness é tema de palestra na Strong ESAGS de Santos

Usar o cérebro para ter boas ideias e turbinar os negócios deixou de ser apenas intuição. A técnica, conhecida como Neurobusiness, vem cada vez mais sendo utilizada como estratégia de gestão empresarial, principalmente em tempos de crise, quando as boas soluções se sobressaem. E para tratar desse assunto, a Escola Superior de Administração e Gestão (Strong ESAGS) traz a Santos, nesta quinta-feira, dia 5 de maio, dois especialistas que farão a palestra ‘Neurobusiness e Design Thinking – Neurociência e Design Aplicados à Gestão Empresarial’.

Trata-se do economista Robson Gonçalves, que também é professor dos cursos de MBA da Fundação Getulio Vargas (FGV) e coordenador da FGV Projetos, e da arquiteta, urbanista e consultora na FGV Projetos Andrea de Paiva, Master of Arts pela Middlesex University, em Londres.

“Nossa responsabilidade é oferecer às pessoas conhecimento sobre os mais variados temas, com profissionais renomados e qualificados. Melhor ainda porque palestras desse tipo costumam ser muito caras e na Strong ESAGS têm apenas o custo social, já que tudo que arrecadamos é doado para entidades assistenciais da região. É uma oportunidade única”, diz o diretor-executivo da Strong ESAGS, Sergio Tadeu Ribeiro.

Para participar basta doar 2 kg de alimentos não perecíveis ou R$ 10,00. A palestra está marcada para as 20 horas, na unidade Santos, que fica à Avenida Conselheiro Nébias, 159, Vila Nova.

Entenda melhor
Neurobusiness é usado por empresas que buscam desvendar as reais necessidades do cliente. É a aplicação do conhecimento sobre o cérebro, a mente e o comportamento humano na estratégia de negócios, na capacitação em liderança empresarial, na gestão de relacionamento com o cliente, no marketing e gestão comercial.

“Nosso cérebro é uma máquina biológica incrível, mas pouco conhecida. Razão, emoção e instinto se misturam em nossas atitudes e escolhas do dia a dia. Mas, será que é possível compreender melhor esses processos? Será que é possível estimular o cérebro para conseguir ser mais criativo, focado, menos estressado e, portanto, mais produtivo, atingindo, ao mesmo tempo, melhor qualidade de vida?”.

São exatamente essas questões que serão tratadas no encontro, em especial porque o universo do Neurobusiness envolve todas as disciplinas que utilizam aplicações da Neurociência à gestão empresarial. “Mas essas aplicações não visam somente melhorar nosso desempenho profissional. Conhecer melhor os mecanismos mentais pode nos ajudar a ter uma vida mais prazerosa apesar da correria diária”, explicam os palestrantes.

Deixe seu comentário