18 dez 2012

Aos 31 anos, ex-aluno já atende como gestor comercial de multinacional

Robson Del Fiol, formado em administração na ESAGS, sempre diz: “aprendi que não existe sucesso individual, ou seja, se você quer ter uma carreira, seja ela qual for, vai precisar muito das pessoas que o cerca e de pessoas que você ainda nem conhece.”

Em Boston, durante um curso de inglês

A resposta ‘quero ser administrador quando crescer’ estava na ponta da língua de Robson Del Fiol, quando lhe perguntavam qual profissão ele queria seguir. Hoje, ele se apresenta como tal e responde como gestor do departamento comercial de Original Equipment Manufacture da multinacional SAP, empresa alemã que atua na área de software de gestão empresarial.

Antes de se formar na segunda turma de administração de empresas da ESAGS, Robson cursou Técnico em Administração na ETEC, em Santo André, para conhecer questões operacionais e ratificar a escolha profissional. O administrador, antes de ser contratado pela SAP, passou por grandes empresas de pequeno e grande porte, entre elas, M. Stela Jewels, IBM e a própria SAP, onde foi estagiário. Também viveu 30 dias em Boston, nos Estados Unidos, para aperfeiçoar o inglês.

Hoje, ele divide a carreira com as aulas de MBA em Gestão Estratégica de Finanças na STRONG/FGV, empresa conveniada com a Fundação Getulio Vargas e mantenedora da ESAGS, e trabalhos filantrópicos nas ETECs, onde dá aulas inaugurais do curso de administração.

Aos 31 anos e pai e um menino recém-nascido, Robson Del Fiol afirma que para alcançar objetivos e metas é preciso ter foco, planejamento e acreditar. Abaixo, ele dá dicas para você que está entrando agora no mercado de trabalho.

Qual deve ser a postura do jovem no mercado de trabalho?
Acredito que o jovem precisa ter objetivos claros, demonstrar e agir com comprometimento e, acima de tudo, descobrir se seus valores estão alinhados ao da organização que pretende entrar.

O que as empresas esperam desses jovens?
Acredito que as expectativas variam do tipo de empresa e do tipo de função que o jovem irá exercer, mas em geral a expectativa é que o jovem venha para o mercado com vontade de aprender, com disciplina, com ideias novas e muito brio.

Que conselho você daria para a nova geração, que afinal, você faz parte?
Diria que não existe segredo ou receita de bolo, porém existem algumas melhores práticas de carreiras que podem ser seguidas e ajustadas de acordo com cada um. Certa vez, ouvi de um presidente da SAP o seguinte: “saiba onde você quer chegar, tenha um plano e dê o seu melhor.”

Quais as maiores dificuldades que você encontrou nessa trajetória e por quê?!
Olha, foram tantas que ficaria dias listando isso aqui (risos), mas posso dizer que as mais impactantes sempre são descobrir sua vocação, persistir mesmo quando as coisas não estão dando certo, engajar as pessoas certas para lhe ajudar no seu objetivo e não deixar a turma baixo astral te levar para o fundo do poço!

E os maiores aprendizados?
Foram muitos e imagino que estamos sempre aprendendo quando se trata de carreira. Todavia destaco os que mais me ajudaram: aprendi que não existe sucesso individual, ou seja, se você quer ter uma carreira, seja ela qual for, vai precisar muito das pessoas que o cerca e de pessoas que você ainda nem conhece. A segunda coisa foi acreditar no meu potencial e buscar me superar sempre, como um atleta faz. E a última coisa que destaco é ter um plano bem definido para a sua carreira e para toda sua vida.

Deixe seu comentário